Da vida na aldeia, parte dois



Lagoa do Fogo, São Miguel - Açores, Julho de 2016.


Podia dizer que foi uma decisão pensada e repensada, que analisei bem os prós e os contras, que os planos se alongaram ao longos dos últimos meses e que as expectativas borbulhavam. Mas não, nada disto corresponde à verdade. A decisão de pôr uma mochila às costas e, pela primeira vez, viajar sozinha com a máquina fotográfica em punho foi tomada em cima do joelho. Um dia acordei e pensei: é agora. E foi. Em poucos dias, com três ou quatro destinos em cima da mesa, reservei a minha viagem para cinco ilhas no arquipélago dos Açores: São Miguel, Terceira, Pico, Faial e São Jorge.

Talvez não tenha sido a viagem da minha vida, não foi. Muitas se irão sobrepor a esta, muitas outras irão surgir, talvez num futuro próximo. No entanto, fui capaz de me reencontrar entre o azul e o verde, ainda me sinto a flutuar e, por vezes, ainda me é difícil constatar que sim, voltei. Alguém bem diferente daquela que foi.