Da vida na aldeia, parte sessenta

Cabo Espichel.


A grande importância que a pintura e, em certa medida, a fotografia tiveram para mim tem qualquer coisa que ver com isto. Não continham palavras, nem conceitos, e quando as via, aquilo que experimentava, aquilo que as tornava tão importantes, era também não-conceptual. Era um domínio em que havia qualquer coisa de estúpido, um domínio completamente alheio à inteligência, que eu tinha dificuldade em reconhecer ou aceitar, mas talvez contivesse o elemento mais importante daquilo que eu queria fazer.


in Um Homem Apaixonado de Karl Ove Knausgård (Relógio D'Água, 2015)

Sem comentários:

Enviar um comentário