Da literatura, parte trinta e oito

Eu defendo-o muito, mas nem sempre se preza como deve ser o silêncio, neste lugar onde vivo agora. É talvez o maior dos seus defeitos: há dias em que o silêncio fere. Felizmente, existe a montanha.


in A Vida no Campo de Joel Neto (Marcador, 2016).