SOBRE A PÁGINA

A Ana do Monte surge por impulso. O impulso da escrita. E das imagens. Nasce da necessidade de manipulação dos textos e das fotografias como forma de expressão. Através dos trilhos percorridos nas montanhas, dos momentos captados e congelados no tempo por intermédio de uma objectiva, as frases surgem, encavalitadas umas nas outras, como uma febre inquieta de existência. Da prosa à poesia, de palavras que vêm de dentro até autores como Miguel Torga ou Aquilino Ribeiro, dentre tantos outros que souberam celebrar o rural como ninguém. Este é um espaço de verdade, da evidência clara da paixão por Portugal, pelas artes indissociáveis que são a fotografia e a literatura, da ânsia de, vivendo entre o verde, celebrar os pequenos lugarejos semeados ao acaso e as paisagens que os envolvem. Do amor pela natureza, enfim.